Sanofi
Sanofi
Dicas de saúde

5 fatos sobre Allegra

Allegra é um antialérgico mais recente do que os de primeira geração e apresenta efeitos colaterais mínimos1

Conteúdo incluído em: 10 de março de 2021

compartilhar

Desenvolver um medicamento não é uma tarefa simples. São necessários anos de pesquisa e muitos testes clínicos para atingir a segurança necessária e poder oferecer à população um remédio seguro e indicado para solucionar um problema. Com os antialérgicos, usados para combater a rinite alérgica, não foi diferente: o primeiro medicamento foi descoberto há 70 anos1.

Novos medicamentos foram desenvolvidos buscando o aperfeiçoamento da eficácia e a minimização de eventos adversos. Graças ao desenvolvimento e muita pesquisa, Allegra (cloridrato de fexofenadina) não carrega aquele estigma dos antialérgicos antigos, de primeira geração, pois não provoca sono, não atrapalha as atividades diárias e alivia os sintomas da rinite alérgica e da urticária1,2.

Descubra o que você precisa saber sobre o Allegra2!

1 - Por que não preciso de receita para adquirir o Allegra?

Allegra é um Medicamento Isento de Prescrição (MIP), ou seja, é aprovado pela ANVISA para ser comercializado sem necessidade de prescrição médica3. Isso significa que uma pessoa não precisa apresentar receita médica no ato da compra para adquiri-lo.

Mesmo não precisando de prescrição, Allegra, assim como outros MIPs, cumpre os requisitos de qualidade, segurança e eficácia exigidos pela Anvisa3.

O fato de Allegra ser um MIP é um entendimento da Anvisa de que é um produto seguro suficiente para ser vendido no autosserviço3.

Mas atenção: nem todos os medicamentos antialérgicos são MIPs3. Para identificar um medicamento isento ou não de prescrição, é preciso estar atento ao tipo de tarja ilustrado na caixa, que pode ser cor preta, vermelha, amarela (a tarja amarela identifica medicamentos genéricos, que podem ser MIPs), ou não ter tarja, quando este também é isento de prescrição. Lembre-se também que ao buscar um medicamento, o médico deve ter sido consultado previamente.

2 - Por que Allegra não dá sono?

Os primeiros remédios para rinite alérgica, chamados de antialérgicos de primeira geração, tinham eventos adversos bem incômodos. Quem sofria com alergias e tinha de fazer uso do medicamento frequentemente apresentava sintomas como sedação, cansaço, diminuição de concentração para as tarefas do dia a dia e fadiga. Além disso, sabe-se que esses medicamentos também podem diminuir o tempo de sono REM (rapid eye movement), fazendo com que, mesmo que a pessoa durma bastante, acorde ainda cansada1,4.

Porém, com a quantidade de eventos adversos dos antialérgicos antigos, observou-se a necessidade de ampliar a pesquisa para desenvolver os fármacos de segunda geração, grupo de que Allegra faz parte1,5.

Com longa duração de ação, além de um bom perfil de segurança, Allegra é indicado para o alívio dos sintomas da rinite alérgica e da urticária. Aliás, sua utilização não interfere na capacidade de conduzir automóveis ou de operar máquinas1,2,5.

3 - Allegra é também indicado para aliviar os sintomas da urticária?

Sim. Assim como no caso da rinite alérgica, a urticária é uma reação do organismo a agentes alergênicos. Porém, sua manifestação mais comum se dá por urticas na pele, isto é, lesões avermelhadas, com elevação, de bordas irregulares e que coçam6,7.

Estima-se que, pelo menos, aproximadamente 20% da população vai apresentar um episódio do problema durante a vida, o que a torna um dos problemas dermatológicos mais comuns7. Mas, atualmente, é possível contar com Allegra para minimizar os sintomas da urticária2.

4 - Allegra demora quanto tempo para fazer efeito?

Allegra age rápido para aliviar os sintomas da rinite alérgica. O efeito se inicia em até 1 hora e alcança o efeito máximo dentro de 2 a 3 horas, permanecendo por até 24 horas2. É por isso que o medicamento é uma ótima opção para alívio rápido dos incômodos provocados por essa alergia.

5 - Qualquer pessoa pode tomar Allegra?

Allegra é indicado para uso adulto e pediátrico acima de 12 anos, sendo usado no tratamento de manifestações alérgicas, tais como rinite alérgica, espirros, obstrução nasal, prurido, coriza, conjuntivite alérgica e febre do feno, além de também ser indicado para tratamento da urticária2. No entanto, é importante não tomar medicamentos sem a orientação de um médico

ALLEGRA® (cloridrato de fexofenadina). Indicações: é um anti-histamínico destinado ao tratamento das manifestações alérgicas, tais como sintomas de rinite alérgica (incluindo espirros, obstrução nasal, prurido, coriza, conjuntivite alérgica) e urticária (erupção avermelhada e pruriginosa na pele). MS 1.8326.0359. O USO DO MEDICAMENTO PODE TRAZER ALGUNS RISCOS. Leia atentamente a bula. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Referências:
1 - Pastorino, A.C. Revisão sobre a eficácia e segurança dos anti-histamínicos de primeira e segunda geração. Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia. Vol. 33. N° 3, 2010. Disponível em: http://www.sbai.org.br/revistas/Vol333/anti-histaminicos_33_3.pdf
2 - Bula de Allegra. Sanofi. Disponível em: https://www.allegrabrasil.com.br/bula/adulto/allegra-bulla.html
3 - Diário Oficial da União. RESOLUÇÃO - RDC N° 98, DE 1° DE AGOSTO DE 2016. Ministério da Saúde/AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA/DIRETORIA COLEGIADA. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/23376708/do12016-08-03-resolucao-rdc-n-98-de-1-de-agosto-de-2016-23376586 Acesso em 18 de dezembro de 2020.
4 - Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Material Educativo - Urticária. Anti-histamínicos ou Antialérgicos. Disponível em: http://www.asbai.org.br/secao.asp?s=127&id=1132. Acesso em 07 de junho de 2020.
5 - Mann, R.D., Pearce, G.L., Dunn, N., et al. Sedation with “non-sedating” antihistamines: four prescription-event monitoring studies in general practice. Apr 29; 320(7243): 1184– 1187. British Medical Journal, 2000. doi: 10.1136/bmj.320.7243.1184
6 - Criado, P.R., Criado, R.F.J., Maruta, C.W. et al. Urticária. Anais Brasileiros de Dermatologia, vol.80 nº6 - Rio de Janeiro Nov./Dec. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S036505962005000700008&script=sci_arttext
7 - Urticária. Sociedade Brasileira de Dermatologia. Disponível em: https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/urticaria/73/ Acesso em 18 de dezembro de 2020.

Leia mais sobre Alergia